8.3.09


© filipe paes

diz-me o que visualizas quando escreves

uma página um conto um guião
agora que te encontras com atraso entre o vocábulo da chegada

estridente como um instrumento de sopro numa banda fúnebre mexicana
e a pergunta que te faria

o que vês quando escreves

de olhos fechados

sequenciando o ritmo da tua respiração

aguardando o pensamento que a inquieta e acelera

cada página como o fotograma que o teclado amarra ao ecrã

antes que um outro tu adormeça

ou se distraia por estímulo inesperado

um beijo ou apenas a sua saudade

mas quem se distrai agora sou eu

que queria apenas saber se vizualizas as páginas que escreves

se serias capaz de ditar de olhos cegos

os signos as metáforas os ais

pontuar com precisão

escolher o tipo de letra o espaçamento
sem viúvas nem órfãos
saber o livro como objecto
apontar o grafismo
com exactidão diz-me se de madrugada

podem as paredes do lugar onde escreves com o arcaboiço das palavras

e se com elas se decompõe a casa ou se desfraldam sombras
o tecto como um planetário
é o lugar onde escreves uma câmara obscura
com clareza diz–me se
de olhos cegos

serias capaz de ditar as páginas que escreves?

5 comentários:

Filipa Júlio disse...

gostei muito destes signos, metáforas e ais. muito.

CNS disse...

E o que visualizas quando escreves, Blue?

Muito, muito bom

Pedro S. Martins disse...

escrever é um olhar para dentro. de nós. do mundo. de tudo.

muito bom poema.

«Brot und Wein» disse...

Gostas bastante de Robert Bresson, não gostas?

Scarlata disse...

Que bonito...

Arquivo do blogue

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.