4.10.06











(terras de sicó, 1 de outubro de 2006)

a serra da lousã vista da serra de janeanes

6 comentários:

VASCO disse...

1.pensamento:a arte imita a natureza ou
é a natuureza que imita a arte?
perante estas imagens podia acontecer,
as duas coisas...
desde a pedra solta,entre aglomerados
escavados ou naturais,formando grutas
o que podemos pensar? e os muros?
2.a qualidade das imagens é muito boa.
è do mesmo autor que fotografou s.clara?
3.será que blue nos pode esclarecer?
(de qualquer modo parabens)

blue disse...

às tantas da manhã, tinha colocado um comentário que esclarecia a autoria das fotografias que, pelos vistos, não ficou registado (vês, também acontece aos outros...).
se bem me lembro, a 2ª, a 4ª, a 5ª, a 6ª, a 7ª, a 9ª e a 10ª são do pedro morais.
as restantes, como as de santa-clara-a-velha, são minhas.
respostas para a outra pergunta... eu diria que a arte tem sempre como pano de fundo a natureza, mesmo quando se lhe contrapõe.

blue disse...

ainda relativamente às autorias: a numeração é de baixo para cima.

no que respeita à intervenção do homem, a 5ª fotografia retrata as fundações de um moínho, um dos muitos que existiam nesta zona.
os moínhos de fundação circular eram um elemento fundamental da paisagem entre coimbra e a serra da Lousã, na "face" poente do trajecto, localizados não só nas terras de Sicó, como também no espaço entre estas e o vale do rio Dueça. hoje já não se avista nenhum. provavelmente ruíram ou foram cobertos por eucaliptais.

António disse...

A sequência, na sequência é que está a chave da construção. A sequência é a arte, construída com imagens da natureza, pura, ou com intervenção humana. Percebem?

blue disse...

a verdade é que estes locais são tão poderosos que, independentemente do olhar lançado, só poderiam ser uma forte inspiração

Maria disse...

Estive aqui, estive aqui!!
Que fixe...

Arquivo do blogue

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.