15.6.08

detalhes pontos de fuga início de uma outra história
é quase verão e já sinto a água da albufeira salgar o meu rosto
o funcho-marítimo cobrir o amplexo da falésia
piteiras-bravas núvens brancas darão corpo ao vento leste à nudez
às sombras
sobre a areia onde me estendo

é quase verão.

5 comentários:

Scarlata disse...

pois é... aqui é que nao parece.

Bandida disse...

é quase verão na pele...


belíssimo poema, blue!

Huckleberry Friend disse...

Estive na praia há três dias, mas assim já ficou cheio de saudades...

Luís Nunes disse...

Muito bom , sem reservas.

laura disse...

é quase verão, sim, com estas palavras.

Arquivo do blogue

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.