6.1.08

vela uma penumbra de giz
embacia o corpo das palavras
o pulso que não se sente
o olhar de cinzas a pele que só arrancada.

ao amanhecer terás os passeios cobertos de gelo
prematuros bandos de pássaros sobrevoarão os jacarandás
os plátanos
encontrar-te-ão adormecido coberto de folhas
e nuas estarão as sacadas da praça
vagas as janelas de lioz macio
como a pele dos rapazes os lábios das raparigas
vazas estarão as marés o cais o tejo
vaza a luz ao relento
quando passares em silêncio.


© kiasma

8 comentários:

JRL disse...

na penumbra do giz, na vazante da luz... boa semana.

maria disse...

muito bonito

isabel mendes ferreira disse...

eu passo.


muitas vezes. em silêncio.



para te re-ler.




beijo.


no cais da amizade.

António disse...

Um começo de ano, com sentidos embotados, doutro?

laura disse...

bela imagem vestida com as tuas palavras...

Mar Arável disse...

Ainda assim

é belo

o chão

das marés

Gi disse...

"encontrar-te-ão adormecido coberto de folhas"

...

"quando passares em silêncio"

Alheio? Indiferente?

Tão nu , tão triste, tão blue ... e belo mesmo assim

Um beijo

Scarlata disse...

Pronto, agora posso dizer que o ano começou bem. Que lindo blue.

Bem encontrada, Bom Ano!
;)

Arquivo do blogue

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.