24.9.07


(aguarela sobre papel, sem data)

para o meu desamor um novo ângulo
um lugar abstracto de copa aberta
o sangue pisado
a cal viva

as palavras cegas do poema.

17 comentários:

margarete disse...

fabuloso, blue.

Mateso disse...

in blue...
Hugs

Luis disse...

para o desamor
uma copa aberta
o sangue pisado
a cal viva

as palavras cegas do poema.

hora tardia disse...

as palavras abertas.





como sempre.


iluminadas.

Mar Arável disse...

O SANGUE PISADO.

E EU NAS VINDIMAS.

Gi disse...

as palavras cegas do poema

porque o amor é cego

e o desamor não quer ver !


Um beijo, em tons de azul

Natália Nunes disse...

suas palavras me lêem em braile.
sinto-as.

cm disse...

um abraço pelas cores e um obrigado pelas palavras

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Gostei muito.

Cometa 2000 disse...

lindo. como é habitual.

at disse...

perfeito. sem tirar nem pôr :)

maria disse...

muito bonito. outra vez.

marisa disse...

já tinha feito um comentário, mas pelos vistos nao ficou, ou entao comentei noutro post que agora nao encontro. nao interessa. vou repetir mais ou menos o que tinha dito.
só queria deixar um sinal de vida e dizer que continuo a deleitar-me com a tua página. reparei que os admiradores vao aumentando, o que acho óptimo. nao perco mesmo a esperança e já vejo em breve nas minhas mãos um livro raro, no qual palavras belas sao ilustradas com imagens tb. belas do próprio autor.
beijos
marisa

bruno .b.c disse...

blue, olha o livro..
(gostei das discretas
modificações no layout,
e gosto muito do que se
vai passando por aqui)
ainda vou reler mais um
pouco aquele poema
encostada no teu ombro, respiro o odor da tua pele na minha mão

um abraço.

isabel mendes ferreira disse...

...tardia...mas sempre presente!!!!!


______________beijo.
:)

blue disse...

gosto de vos saber por cá.

aida monteiro disse...

abracinho.

:)

Arquivo do blogue

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.