28.1.07



© pedro morais, 1987

esse sinal é real sobre o teu rosto, que me escondes?
irrito-me e só desejo enfurecer-te no que de mais feminino podes avistar.

os lábios para te recusar as mãos
os seios para te recusar os ombros
a linha mais segura da anca para esmagar os teus ângulos secos de homem
o colo para desejares mergulhar a boca
e mergulhar o ventre
o ventre.
então, cerrar-me no mais concâvo do corpo,
as pernas nunca despidas
e recusar o suspiro sob os teus braços.

odiar-me-ias, creio.

cobarde, fico pelo desafio cruel ao teu desejo
deixando adivinhados gestos por riscar.

(fico pelo desejo
como os passos que abandonam o espaço azul
sideral tempo de louvor da noite)

7 comentários:

blue disse...

texto escrito nos anos oitenta.
as imagens são do pedro moraise correspondem a estudos para uma bd feita a partir de fotografias da Rosi Avelar e do Pedro Tudela.

pedro disse...

O texto da bd é ligeiramente diferente.

laura disse...

fantástico. será a praia de espinho, ou de valadares? com as barracas azuis e brancas e a nortada a despertar água dos olhos?

pedro disse...

Espinho!
(se a memória não me engana)
...mas o melhor será perguntar aos "actores e actrizes"!

António disse...

Gostei imenso do texto, Blue. Pura prosa... Assusta, contudo.

rosi disse...

Espinho,claro.Tenho andado afastada da blogosfera, mas às tuas belas palavras e aos traços do pedro é devido um comentário.
Desejo ardente, inolvidável, de um verão longínquo.

blue disse...

Desejo ardente, inolvidável, de um verão longínquo.

obrigada rosi, disseste tudo. volta sempre.

Arquivo do blogue

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.