16.1.07


(c) pedro morais

4 comentários:

laura disse...

"À breve, azul cantilena
dos teus olhos quando anoitecem."

Linda sequência que, se me permites, me lembrou esta pequena maravilha do Eugénio de Andrade.

blue disse...

uma mais bela lembrança, a tua.

António disse...

Coincidência? Recordei, hoje, esta magnífica música e letra. Lembras-te?

Amélia dos Olhos Doces
Letra e música: Carlos Mendes

Amélia dos olhos doces,
Quem é que te trouxe grávida de esperança?
Um gosto de flor na boca,
Na pele e na roupa, perfumes de França

[refrão]
Cabelos cor-de-viúva,
Cabelos de chuva, sapatos de tiras,
E pois, quantas vezes,
Não queres e não amas
Os homens que dormem,
Os homens que dormem contigo na cama

Amélia dos olhos doces,
Quem dera que fosses apenas mulher
Amélia dos olhos doces,
Se ao menos tivesses direito a viver

[refrão]

Amélia gaivota, amante, poeta,
Rosa de café
Amélia gaiata, do bairro da lata,
Do Cais do Sodré

Tens um nome de navio,
Teu corpo é um rio onde a sede corre
Olhos doces, quem diria,
Que o amor nascia onde Amélia morre

[refrão]

blue disse...

lembro-me perfeitamente da voz do carlos mendes, desse acto inusitado de cantar sobre as mulheres de rua, num portugal à descoberta da liberdade.

Arquivo do blogue

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.